Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Proposta semelhante

Após Apucarana, Câmara de Londrina vai discutir sepultamento de pets em cemitérios

Douglas Kuspiosz - Folha de Londrina
04 jul 2024 às 20:01
- Divulgação/Acesf
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Uma semana depois da aprovação do projeto de lei que permite o sepultamento de animais domésticos em cemitérios de Apucarana, a CML (Câmara Municipal de Londrina) recebeu uma proposta semelhante. A vereadora Daniele Ziober (PP) assina um PL que visa autorizar o londrinense a enterrar seus pets nos cemitérios públicos da cidade.


A FOLHA teve acesso à primeira versão do PL - ainda sem número - que em breve deve começar a tramitar no Legislativo. Pela proposta, poderão ser sepultados cães e gatos nas gavetas e jazigos das famílias. As normativas deverão ser estabelecidas pela Acesf (Administração dos Cemitérios e Serviços Funerários de Londrina).

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


De acordo com o texto, todas as despesas do sepultamento ficarão a cargo da família do concessionário da gaveta ou do jazigo. E os cemitérios particulares poderão estabelecer normativas próprias para o enterro dos animais.

Leia mais:

Imagem de destaque
Advogado explica

Pets podem ser enterrados em cemitérios humanos?

Imagem de destaque
Negligência

Cadela de 5 anos morre durante transporte e família recebe corpo em isopor

Imagem de destaque
Estava com a pata ferida

Gato-do-mato-pequeno é solto pelo IAT de Campo Mourão; veja vídeo

Imagem de destaque
Regulamentação

Câmara de Londrina aprova em primeiro turno projeto que cria carteirinha de identificação para protetores de animais


A justificativa do projeto assinado por Ziober é semelhante à do PL de Apucarana, ressaltando que, hoje, muitos pets são considerados membros das famílias e que, quando ocorre o falecimento do animal, “há dificuldades para se dar o encaminhamento respeitoso que ele merece”.

Publicidade


A vereadora explica que nesta quinta-feira (4) o projeto ainda estava passando por revisões na Câmara, última etapa antes de efetivamente ser protocolado na CML. A proposta não é inédita e, além de Apucarana, já foi tema de projetos em Campinas (SP) e Indaiatuba (SP), sempre com o intuito de dar autorização aos moradores.


“A gente sabe que as pessoas emocionalmente hoje têm um grande vínculo com os seus animais, muitos os tratam até como filhos”, justifica a parlamentar em entrevista exclusiva à FOLHA.

Publicidade


Outro argumento para a defesa do texto são as altas taxas cobradas pelos poucos cemitérios e crematórios destinados a animais domésticos, o que inviabiliza o acesso desse serviço para a maioria da população.


“A propositura deste projeto de lei vai ao encontro da necessidade de criação de meios que possibilitem à sociedade, cada vez mais, compreender a importância que os pets têm na vida das pessoas que com eles convivem”, acrescenta a justificativa.


CONTINUE LENDO NA FOLHA DE LONDRINA.

Publicidade

Últimas notícias

Publicidade